Comi a Mãe do meu Amigo: Léo não era um dos meus melhores amigos, mas tinhamos uma boa relação, ele jogava futebol na rua comigo e mais algumas pessoas, e as vezes eu ia pra casa dele jogar videogame. Ele tinha uma mãe simplesmente espetacular, pelo menos na minha visão. Seu nome era Vivian, 38 anos de idade na época. Era bonita, não era uma beleza sensacional, mas era bonita sim, tinha seios grandes, coxas grossas, muito grossas e uma bunda enorme, cabelos longos que iam até o começo da bunda, e um sorriso lindo. Todos da rua falavam da mãe do Léo, e com certeza pelo menos metade dos que falavam e elogiavam ela ja fizeram homenagens no banho, inclusive eu. Vivian era casada com Fabiano, ele não parava em casa, sempre viajava a trabalho. Numa dessas viagens de Fabiano, eu tive uma oportunidade ótima e consegui não desperdiça-la.

Comi a Mãe do meu Amigo

Essa história aconteceu quando eu tinha 17 anos.

Era uma sexta feira quente, Léo chamou eu e mais dois amigos para ir a sua casa. Jogamos videogame e assistimos filmes. Era cedo ainda, Léo nos chamou por volta de 15:30, e quando deu 18:30, a mão dele avisou que ia demorar mais um pouco pra janta sair. Me ofereci pra ajudar, ela sorriu e disse que não precisava.

Eu não estava afim de sair e ficar na rua com a galera. Fiquei na sala enrolando. Vivian me vendo sozinho na sala, veio conversar comigo.

“Não quer ficar la na rua com eles?”

“Não, eu to meio cansado e com sono.”

“Sério?”

“É…hoje o dia foi bem puxado”

A conversa ia bem até eu elogia-la, aí pareceu que sua personalidade mudou totalmente. Vivian me olhava diferente, ela tava querendo alguma coisa.

“Vem aqui na cozinha pra gente conversar melhor, porque eu tenho que ficar de olho nas panelas.”

“Ta bom”

No caminho, ela rebolava sua bunda enorme e dava umas olhadinhas pra trás.

“O que você pensa em fazer da sua vida quando sair da escola?”

“Pretendo fazer faculdade de educação física”

“Uau! Vai ser personal trainer ou professor de educação física?”

“Personal trainer”

“Vai fazer sucesso com as gatinha!”

“Deus te ouça!”

Ela riu e foi se aproximando. Seu perfume, a medida que ela chegava mais perto, me deixava louco.

“Você acha que eu preciso de um personal?”

“Pra falar a verdade, não. Você é linda.”

“Não mente pra mim, fala a verdade.”

“Eu to falando, ao meu ver, você é perfeita!”

“Sabe…eu to muito sozinha, o Fabiano viaja muito e não me divirto faz um tempo.”

“Como assim?”

“Você sabe do que eu to falando!”

“Se for o que eu to pensando, é muito arriscado.”

“Eu corro o risco pra me satisfazer.”

“Não faz isso, alguém pode entrar e nos ver.”

“Então não faça barulho”

Vivian se aproximou calmamente e me roubou um beijo, fiquei paralisado, eu sabia que era perigoso, mas acabei me entregando.

“Ninguém vai saber, fica quietinho pra mim cuidar bem de você”

Meu pau acordou e parecia querer sair de dentro da calça a força, ela percebeu o volume e colocou a mão por cima. Apertou e massageou lentamente me fazendo delirar.

“Deixa eu ver?”

“Claro!”

Ela abaixou minha calça e minha cueca, ficou punhetando por alguns segundos e depois caiu de boca. Lambeu cada centímetro e chupou com maestria.

Depois de chupar por bastante tempo e quase me fazendo gozar, Vivian tirou sua roupa por completo, expondo seus seios enormes que fiz questão de chupar. Ela gemia baixo, passava a mão na buceta por cima da calcinha.

Ela desligou as panelas e me levou até seu quarto. O quarto era grande, bastante espaçoso.

Vivian não perdeu tempo e me jogou em sua cama, deitou-se por cima de mim e roçou seus peitos em minha boca. Agora ja com gemidos mais soltos, mais altos e longos também.

Coloquei ela deitada de barriga pra cima e puxei sua calcinha pro lado, deixando sua bucetinha a mostra. Não estava totalmente raspada, o grelo era medio e estava encharcada. Caí de boca, chupei com vontade arrancando gemidos dela.

“Ssshhh…nossa que tesão! Vem me comer logo, não podemos perder tempo.”

Posicionei meu pau na entrada e forçei, ja não era tão apertadinha, mas estava gostoso.

Vivian deixou as pernas bem abertas em V, com a mão direita apertando seus seios e a mão esquerda na bucetinha.

Ela dizia a todo momento pra mim aguentar e não gozar, porque ela queria dar seu cuzinho também.

“Quero que você lote meu cu de porra!”

Eu estava por um fio, então tive que suplicar pra comer seu cuzinho logo.

Vivian ficou de quatro e empinou bem sua bunda enorme. Ela passou saliva na portinha e me mandou penetrar. Obedeci e penetrei devagar, era bem apertadinho.

Sua bunda enorme escondeu meu pau inteiro, ela gemia e pedia pra gozar. Não durei muito tempo, segurei em sua cintura e aumentei a força das estocadas, gozei gostoso naquele rabão.

Ela sugou o resto de porra do meu pau e sorriu pra mim com cara de safada, me deu um beijo e mandou eu me vestir antes que alguém aparecesse.

Voltei pra sala e fiquei assistindo TV. Léo voltou com os outros e ficou dizendo que eu deveria ter ido com eles, coitado!

No jantar Vivian ficava me olhando, ela fez questão de se sentar de frente pra mim. Aproveitei pra me oferecer pra ajudar a lavar a louça e dessa vez ela aceitou, disse que estava cansada e que precisava relaxar.