Passei o fim de semana todo esperando pra repetir toda a putaria do sábado anterior. Quando chegou sexta-feira, recebi a notícia que iríamos passar o fim de semana numa chácara. Pensei “droga acabou meu fim de semana”, afinal meus planos eram me divertir com minha priminha.

No sábado à tarde antes de ir pra chácara, liguei pra minha prima e disse que não ia conseguir ir pra casa dela a noite, ela fez um tom bem desanimado. Enfim peguei algumas coisas e fui para chácara, eu estava desanimado. Minha família foi atrás de frutas e eu fiquei brincando com os cachorros, quando eles voltaram comi abacate com açúcar e tanto minha irmã quanto minha mãe foram pro mercado comprar itens pro churrasco a noite.

Resolvi ir dormir, dormir umas duas horas e acordei com barulho do portão achei que eram minha família, e continue na cama cochilei de novo. Como estava calor eu dormia sem camisa e só com uma bermuda e sem cueca. Ouvi alguém me chamando, quando abri os olhos era minha prima e minha tia. Como eu havia acabado de acordar, a barraca estava armada, mas nem me liguei no momento, apenas abri um grande sorriso levantei-me e abracei minha prima. Ela já sentiu meu pau na barriga e disse no meu ouvido. “parece que não é só você que está feliz em me ver” e mesmo na frente da mãe dela ela deu uma pegadinha discreta.

Logo perguntaram onde estava minha família, disse que foram no mercado, ela ficou um pouco brava. “Deixa essa nega preta comigo, ela me chama pra vir e sai?”. Tranquilizei ela e disse que elas já estavam vindo. Ofereci algumas frutas e minha tia ficou na cozinha chupando laranja. Fernanda me pediu pra mostrar a chácara pra ela.

Levei ela pra ver os cachorros ela, brincou um pouco com o scooby em um determinado momento ele tentou montar em cima dela e como ele era grande ela não conseguia sair, foi muito engraçado, pela primeira vez eu a vi ficando sem graça. Depois levei ela pra ver o carneiro e os cavalos. Claro que ela ficou olhando dicaradamente a pica dura do cavalo e ficou com aquela carinha de sem vergonha que ela tem.

-Pelo menos disfarça né Fer!

-Nossa que picona.

Cheguei por traz encoxei ela e disse que a minha era melhor.

– “É melhor né? Mas semana passada você ficou mais com a Niany do que comigo”

-Ficou com ciúmes? Até onde me lembro, você estava adorando a Duda Chupando sua xota.

Ela fez cara de emburrada, mas aproveitei que estávamos sozinhos no estábulo e enfiei a mão por dentro de seu shortinho jeans, que nem era tão curto, mas destacava aquela bundinha empinada dela. Achei que ia me dar bem, mas logo minha tia foi procurar a gente. Pediu pra gente não ir muito longe, porque havia cobras por aí, pensei comigo “tem mesmo a minha”.

Voltamos pra perto da casa e lembrei que Fer adorava jabuticaba, e havia um pé bem de frente com a porta da cozinha. Ela subiu no pé e eu subi atrás dela, enquanto ela comia jabuticaba eu a encoxava. E sempre que tinha oportunidade eu tentava pegar as jabuticabas que estavam mais no alto. Sempre que fazia meu pinto afundava naquela bunda, ficamos assim até escutar minha mãe e irmãs chegarem.

Tudo estava preparado para a noite, eu ainda não tinha desistido de dar uns pegas na Niany e na minha prima ao mesmo tempo, fui perguntar o número pra minha tia, já que ela era vizinha devia saber. Assim que consegui o número, tentei ligar várias vezes e ninguém atendia.

Minha prima estava querendo usar o telefone também, deixei ela sozinha e fui pro meu quarto, fiquei um tempo vendo TV e voltei pra tentar ligar de novo, mas dessa vez ela atendeu. Eu tentei convidar ela pra vir, mas ela disse que eu teria que convencer a mãe dela a ir, pedi pra ela a chamar.

-Oi Rita, tudo bom? Aqui é o Djony amigo de sua filha.

-Tudo sim e você como está?

-Bem também, então queria te convidar pra vir num churrasquinho aqui no lugar tal.

-Não sei, assim de última hora? O mercado deve estar cheio agora.

-Não precisa trazer nada, eu estou convidando vocês. Já tem tudo aqui.

-Ah não sei, eu fico sem graça de ir assim.

-Que nada, não tem porque. Aliás a minha Tia está aqui sozinha também, ela precisa de companhia.

-Tá bom, eu vou ver. Se der eu apareço.

Ela passou o tell para a Niany, e eu disse:

-Agora é com você, já fiz a minha parte. Insisti pra vir e traz biquíni aqui tem piscina.

-Tá bom, mas não se anime muito em safado.

Chegando à noite eu fui ajudar na churrasqueira. Não demorou muito pra todo mundo se reunir em volta da churrasqueira. Pra minha decepção minha prima havia convidado seu namorado, eu fiquei puto e pensando “o que esse corno tá fazendo aqui”.

Minha prima estava de sainha super curta e sentou no colo do namorado e ficava abrindo suas pernas para me provocar. Pude notar que ela estava de fio dental que mal cobria a parte da frente eu podia ver nitidamente a beiradinha dos lábios dela. Fiquei puto com ela, ela estragou todos os meus planos, com aquele fio dentalzinho eu a levaria para as nuvens.

Logo escutará um barulho no portão, fui correndo suspeitando ser a Rita com a Niany.

Na mosca eram elas, abri um belo sorriso e fiquei impressionado com elas. Estavam super lindas. Principalmente a mãe da Niany, ela estava parecendo aquela pornstar a “Lena Paul” ela estava com vestido vermelho que marcava todas as curvas de seu corpo eu fiquei babando por ela, voltei a mim e dei um abraço na Niany, “achei que vocês não iriam vir”. Peguei na mão dela como se fosse minha namorada e fui apresentar pra todo mundo. Devolvi a provocação pra minha prima, sempre que eu falava com a Niany eu dava um jeito de abraçar ou por as mãos nas suas coxas.

Todo mundo começou a beber, tentaram barrar os mais novos, mas minha tia interveio.

-Deixa eles beberem, afinal não é todo dia que a gente se reuni.

Não demorou muito para estar tudo mundo meio alegre. Minha prima ainda tentava me provocar e eu já nem ligava mais pra nada puxei a Niany e lasquei um beijo ela nem esperava.

Minha tia escandalosa apenas deu um grito “olha lá aqueles dois, tão tudo assanhados”, minha prima também não deixou barato puxou o namorado dela e beijo também. Novamente minha tia fazendo escândalo, todos riram e continuaram bebendo. Eu percebi que já estava bem alegre e dei um tempo na bebida percebendo que Niany também estava passando da conta pedi pra ela parar de beber um pouco. Ela disse “você não manda em mim”, e continuou bebendo, meia hora depois tive que levar ela pra cama, ela nem conseguia andar. A peguei no colo e deitei-a na cama e fiquei junto com ela um pouco ela acabou dormindo.

Já estava frustrado, nada do que eu queria estava acontecendo, quando escutei um barulho na sala. Fui ver o que era, minha tia e a Fer segurando o cornão e pondo no sofá. Ele bebeu demais, pensei “se eu não me divertir, minha prima também não vai”.

Voltei pro quarto com a Niany, fiquei fazendo carinho na cabeça dela. Torcendo pra ela não vomitar em mim, passou algum tempinho olho pra poder e minha prima está com a saia levantada olhando pra mim, assim que me virei ela saiu correndo pro outro quarto que ficava na frente.

Assim que entrei, tinha um rastro de roupas no chão em direção ao banheiro do quarto. Primeiro achei a saia, depois a camiseta, em seguida o soutien e finalmente o fio dental. Abri a porta sanfonada do banheiro e já encontrei minha prima de quatro com a bunda virada pra mim se masturbando e me dizendo.

-Nossa você demorou hein.

-Claro você ficou do lado daquele corno a noite toda, e não parava de me provocar.

-E você também não estava me provocando com aquela vaca? Agora cala boca e me come que eu estou louca pra sentir uma pica hoje.

-Não me manda calar a boca não.

Dei um tapão com força na bunda dela, a ponto de ficar marcado meus 5 dedos naquela bunda branquinha. Nem me dei o trabalho de tirar a roupa, sem cerimônia nenhuma abri o zíper e já meti com força nela.

-Isso, meti, meti, meti safado.

Ouvir ela gemer e gritar me excitava cada vez mais. E cada vez mais eu acelerava, tirava tudo e enfiava tudo de uma vez. Sentia sua boceta apertar meu pau e seus líquidos esbranquiçados saindo de forma abundante, lubrificando ainda mais meu pau e fazendo deslizar cada vez mais fácil.

Sempre que eu comia minha prima naquela posição, eu via seu cuzinho piscando pra mim como se tivesse me chamando, comecei a brincar na porta de seu cuzinho e ela gemia que nem uma louca, não resisti e comecei a enfiar um dedo no cuzinho dela enquanto eu metia. Ela reagia muito bem aquilo e aparentava estar gostando, então cada vez eu enfiava mais fundo o dedo, não demorou muito pra ela começar a ficar mais ofegante e a apertar meu pau com sua boceta. Eu tinha certeza ela estava gozando, mas invés de parar eu continuei. Nunca tinha visto minha prima daquele jeito, estava dando bundadas na minha virilha e rebolava muito enquanto eu metia, 2 minutinhos depois ela estava toda mole e suada, sorrindo muito ajudei ela se levantar e sugeri um banho. Tomamos um banho junto, eu ainda estava muito excitado com ela o meu pau não baixava. A todo momento eu agarrava minha prima por trás a visão daquela bunda e do que fizemos não saia da minha cabeça eu queria mais muito mais.

Peguei minha prima no colo.

-O que você tá fazendo.

-Nada por enquanto, mas você vai se arrepender de me provocar.

Joguei ela na cama e pulei em cima dela, eu a beijava com vontade, e fui descendo pelos peitinhos chupando tudo no caminho até chegar na perseguida. Comecei a chupar com vontade o grelo dela e a enfiar os dedos na boceta. Meu pau pulsava a cada suspiro dela. Até que comecei a brincar com seu cuzinho. Ela entendeu muito bem minha intenção.

-Nem pensar, esquece.

-Não estou pedindo autorização, já é meu e você sabe.

Mal terminei de falar e já direcionava a cabeça na portinha, comecei a forçar devagar e ela gritava de dor. Não importa o que eu tentasse não conseguia de jeito nenhum, além de eu ser inexperiente, a cabeça do meu pau era muito grande e ela ser virgem. Tentei chupar mais sua xota e brincar mais com seu cuzinho e fui enfiando e aumentando o número de dedo aos poucos quando senti que o cuzinho dela havia dilatado eu nem pensei duas vezes, tentei novamente e dessa vez a cabeça começou a entrar, mas não inteira. Ficamos naquela situação de vai não vai algum tempinho, até que tive a ideia de deixá-la mais excitada.

Ainda sem tirar a pontinha comecei e chupar muito seus seios senti os biquinhos dela ficarem durinhos e seu corpo inteiro a se arrepiar. Exatamente nesse momento o cuzinho dela foi piscando e engolindo a cabeça inteira.

A cabeça toda estava dentro dela, tentei forçar pra começar a bombar, mas ela não estava aguentando.

-Tira, tira por favor tá doendo muito.

Nem liguei apenas queria ir até o fim, enfiei até a metade.

-Tira, tira ficou doido?

Enquanto lágrimas saiam dos olhos dela, fiquei com dó, mas não desisti.

-Vai por cima e controla a profundidade.

Tirei o pau e ela foi por cima e foi sentando devagarzinho, apesar de ela estar indo devagarzinho aquilo estava muito gostoso, aos poucos ela foi se acostumando e estava cavalgando até a metade do pau. Eu estava quase gozando e quando olhei pra porta vi Rita em pé com uma mão dentro da calcinha. Minha prima acelerou e eu gozei dentro do cuzinho dela, enquanto encarava Rita na porta, minha prima nem notou. Percebendo que eu a vi, ela saiu rapidamente dali. Minha prima caiu sobre meus braços ainda com meu pinto atolado no cu. Enquanto beijava meu peitoral toda manhosa. Continua…