Meu Irmão me Comeu Gostoso

Meu nome é Ana, tenho 21 anos, sou bem branquinha, baixinha de seios fartos e o corpo normal e muito bem cuidado.

Eu tinha me mudado de cidade e ido morar com meu irmão por causa da faculdade, dividiamos o mesmo apartamento pra economizar nas despesas.

Meu Irmão me Comeu Gostoso

Naquela noite eu estava super chateada com meu ficante, tínhamos transado três vezes e nada de ele me fazer gozar, o cara nem se importava e sobrava pra eu mesma me masturbar e poder acalmar minha bucetinha.

Enfim… Estava no sofá assistindo um filme de noitr quando meu irmão Lucas chegou, ele foi tomar um banho e depois veio pra sala e se jogou no sofá do meu lado, consegui sentir o cheiro de sabonete de longe e o admirei por alguns segundos. Ele era uns 10cm mais alto que eu, cabelos castanho, e um porte físico muito bonito, as meninas deviam babar por ele.

– E aí o que você ta fazendo Aninha? – Ele me perguntou.

– Nada, só assistindo esse filme idiota. – Respondi entediada.

– Xii, ta com cara de mulher mal amada – ele disse e riu, eu ri junto da sua piada.

– Pior que é bem isso mesmo. – Falei sem querer e me senti constrangisa quando ele passou a me encarar.

– Quer me contar?

Ele perguntou e então eu desatei a falar, disse como tinha conhecido meu peguete, disse que o sexo era bem meia boca e que ele não conseguia nem me fazer gozar. Fiquei meio receosa, mas Lucas e eu éramos sempre tão abertos um com o outro pra falar sobre tudo.

Depois de desabafar percebi que sua postura mudou, agora ele estava sentado, de frente para mim, me olhando de um jeito bem sexy, avaliando todo meu corpo que estava bastante exposto pelo micro pijama que eu usava.

– Você é uma mulher tão linda Aninha. – Ele falou e colocou a mão sobre minha coxa e alisou, me arrepiei toda na hora. – Fico chateado que você não encontrou alguém que te satisfaça como uma mulher merece.

– Pois é Lucas, parece que os homens só se importam com eles mesmo. – Respondi inquieta com seu carinho, por algum motivo minha buceta já estava molhada.

– Isso não é verdade, um homem que sabe dar prazer pra um mulher é muito mais feliz… – Falou e sua mão subiu pela minha coxa, chegando bem perto da minha virilha.

Comecei a respirar mais profundo, os olhos dele me comiam, percebi o volume do seu pau aparecendo no short que ele usava.

– O que você ta fazendo Lucas? – Perguntei quando senti sua mão alisar minha boceta por cima do short do pijama.

– Eu posso te mostrar como é ser fodida de verdade. – Falou e aproximou seu corpo do meu, deixando seu rosto quase encostar no meu. – Você quer Aninha? Quer que eu te coma até você gritar de tanto gozar?

Senti minha bocetinha toda molhada e implorando por pica, sabia que era errado transar com meu irmão , mas era só sexo e eu nunca fiquei tão excitada tão rápido na minha vida. Apenas assenti pra ele e logo seus lábios tocaram os meus num beijo lento e profundo.

O corpo do Lucas se colou mais ao meu e suas mão começou a alisar mais ainda minha xaninha. Gemi no meio do beijo.

– Tira a roupa. – Ordenou com a voz rouca.

Eu nunca tinha ouvido ele falar daquela forma, mas obedeci no mesmo instante, tirei a roupa e fiquei peladinha.

– Agora ajoelha aqui na minha frente e chupa meu pau.- Ordenou de novo.

Me ajoelhei, abri o ziper e abaixei todo seu short junto com a cueca revelando um pau de 17cm e bem cabeçudo. Não perdi tempo e cai de boca, comecei lambendo e beijando a cabecinha, depois lambi todo o pau e babando muito bem e então comecei a chupar e colocar aquele caralho na minha boca, seu pau era bem grosso e muito saboroso. Enquanto eu chupava ele tirou a camiseta.

– Nossa que chupetinha gostosa. – Ele falou e acariciou meu rosto. – Mas se você quer ser fodida de verdade tem que chupar como puta Aninha… Esfrega meu pau na sua cara vai..

Ele mandou e eu obedeci de novo, esfreguei seu pau babado no meu rosto.

– Agora coloca ele fundo na garganta.. – Mandava e eu obedecia. – Isso putinha, lambe minhas bolas agora… -Lambi as bolas dele- Agora engole ele de novo.- Engoli e ele forçou minha cabeça até o fundo da garganta, sai pra respirar e fiz de novo, e novo até engasgar e fazer ansia.

Lucas então deu um tapa na minha cara e puxou meu cabelo pra trás, se levantou do sofá e me puxou junto com ele, fiquei em pé na sua frente, ele olhou todo meu corpo.

– Nossa Aninha eu sempre quis ver esses peitoes. – Começou a acariciar meus peitos e apertar os biquinhos, eu gemia gostoso pra ele, sentindo minha buceta escorrer de tão molhada que tava, o Lucas começou a beijar meu peitos e a mamar neles, mordeu os biquinhos e eu já louca de tesão.

– Me fode agora maninho, mostra mim o que é ser fodida de verdade, me faz tua mulher!! – Implorei enquanto ele mamava.

– Então a puta fala? – Ele disse com deboche, parou de mamar no meu peito me puxou pelo cabelo de novo, me fazendo ir pro sofa e fica de quatro.

– Empina esse rabo puta.

Empinei o máximo e ele já foi metendo a mão na minha xana.

– Nossa que buceta molhadinha..

Ele acariciava meu grelo e colocava um dois dedos na minha buceta.

– Isso.. Isso.. – Eu gemia rebolando nos seus dedos. – Por favor me fode maninho, eu quero seu pau, por favor..

Ele deu um tapa na minha bunda que doeu até a alma, gemi alto mas continuei rebolando nos seus dedos. Então além dos dedos no meu grelo e dentro da buceta ele se abaixou e começou a lamber meu cuzinho, lambia e metia a língua dentro dele, entao comecei a sentir um calor dentro do meu corpo, o prazer chegando e gozei.

– Ahhhhh Lucaaaas, issoo ahh… – gozei me tremendo toda.

Lucas levantou e continuei de quatro, senti seu pau pincelar minha buceta e então encaixou na minha entrada e meteu de uma vez. Entrou fácil pq eu já estava toda lubrificada, mas entrou me rasgando, ele nem deu tempo pra me acostumar e começou bombar, seu pau entrava forte e rápido na minha xana e eu gemia feito louca já.

– Empina mais puta- mandou e deu um tapa na minha bunda de novo, eu empinei o máximo que dava.

Seu pau duro entrando em mim bem fundo, conseguia ouvir suas bolas batendo na minha xana, ele puxou meu cabelo me empinando o máximo.

– Issoo Lucas, vaaai… Vaaaai, fodee, metee tudo, me faz gozar de novo.

– Quero chupar essas tetas enquanto goza.

Falou e saiu de mim, sentando no sofá e me mandando sentar de frente no pau dele. Sentei e me movi, subindo e descendo, fazendo seu pau me foder bem gostoso, ele logo começou a mamar nos meus peitos, mamava em um e beliscava o biquinho do outro,ficamos minutos ali e eu já sentia o gozo vindo de novo.

– Já vai gozar de novo cadela?

– Simmmm, ahhhhhh.. – Gozei enquanto ele beliscava meus biquinhos bem forte que doía, mas era gostoso ao mesmo tempo, cavalguei nele até me tremer toda e meu orgasmo chegar ao fim.

Meu corpo estava suado e eu já me sentia satisfeita, deitei sobre ele ofegante.

Lucas puxou meu rosto e me beijou rápido e apaixonadamente.

– Ja cansou putinha? – Perguntou e eu assenti.

– Sim, isso foi muito bom.

Ele riu.

– Mas eu nem comi seu cu ainda

– Não Lucas!- falei apavorada já, já tinha gozado e dado pra ele, ainda queria meu cu?

– Pq não? Eu não gozei, esperei pra esporrar tudo nesse rabinho.

– Eu te chupo então.- Falei – eu nunca dei o cu, não vou aguentar.

Ele sorriu, segurou meu rosto e falou

– Achei que você queria ser fodida de verdade, uma cadela não escolhe como vai ser comida.

Aquelas palavras me excitaram, olhei pro pau dele e ainda tava duro.

– Se eu pedir pra para vc para? – perguntei com medo mas louca pra dar o rabo

– Claro

Falou e me colocou sentada no sofá, me arrumou na posição de frango assado e começou a lamber minha buceta e descer a língua até meu cu, comecei a gemer bem gostoso e a sentir prazer de novo. Então Lucas começou a chupar meu grelinho e enfiou um dedo no meu cuzinho, apesar do desconforto tava bem gostoso, ele chupava meu grelo e dedava meu cu, quando começou a ficar gostoso ele meteu mais um dedo, aquilo doeu e me incomodou, mas sua língua trabalhando me fez começar a sentir prazer e ele começou a meter rápido os dedos, eu já gemia pedindo por mais.

– Agora é a vez do meu pau. – Ele levantou e se ajeitou, colocou o pau na entrada do meu cuzinho. – Bate uma siririca pra mim vai.

Então eu fiz, seu pau pincelou mais um vez e foi entrando, a cabeça do pau demorou mas entrou, gritei de dor.

– Aii Lucas para que não quero mais, vai doer muito.

Eu falava e batia a siririca pra aguentar.

– Calma putinha, vou arrombar esse cu pequeninho e deixar ele que nem cuzao de puta, continua batendo a siririca que você aguenta.

Eu batia siririca, seu pai foi entrando, sentis muita dor, mas de certa forma aquilo parecia muito bom, fui permitindo ele enfiar o pau até que estava ele todo no meu cu e o Lucas gemendo.

– Nossa que apertadinho.

– Ta doendo Lucas.- Fiz voz de dengosa enquanto brincava com meu grelinho.

– Relaxa ai vadia, vou meter nesse cu até ele alargar.

Então devagar ele começou a meter, metia devagar porque eu tava com dor, mas quando percebeu meus gemidos de prazer começou a bombar forte.

Seu pau entrava e saía do meu cu, ele enterrava aquele caralho até o fundo me abrindo toda, eu gemia e tocava meu grelinho

Quando ele enfiou dois dedos na minha xana gritei de tesao.

– Nossaaa, issoo fode.. Me arromba toda Lucas, come tua irmãzinhaa

Ele comia meu cu sem dó, enfiava seu pau todo e quase tirava ele todo também.

– Nossa que cu gostoso..

– Ta tão boomm, não paraa!!

– Eu sabia que você ia gostar de dar o rabo cadela

Ele metia cada hora mais forte, sentia meu cu sendo rasgado por dentro, mas ainda era gostoso demais..

– Eu to amando maninho, fodeee essa puta da tua irmã

Ele começou a gemer e meter mais rápido

– Vou gozar no seu cu Aninha..

– Goza meu machoo, goza no cu da sua puta…

Eu já estava louca de tesão, minha xana toda melada, então senti de novo o calor, meu cu se contraiu e tive mais um orgasmo, era intenso, eu batia a siririca e aguentava o caralho no meu cu, me contorci gritando de prazer e ouvi o Lucas gemendo, senti sua porra quente ser jorrada no meu cu. Ele bombou mais umas cinco vezes gemendo e depois tirou seu pau. Senti a porra escorrer pelo meu cuzinho e o Lucas deitou do meu lado.

Estávamos cansados, aquela foi a primeira rodada da noite, transamos a madrugada toda, cada hora mais forte e em posições diferente. Depois daquela foda maravilhosa nunca mais tocamos no assunto até semana passada, onde tivemos coragem pra mais uma aventura muito louca, mas isso conto outra hora! Bjs.