Tenho 35 anos e casada. Modéstia à parte sou muito bonita e sarada. Cuido do meu corpo e a vida todos sempre fiquei com quem eu quis. Sou morena com pele bem branquinha.

Acabei tendo um amante que me levou para o mundo do Swing. Transei com mais de 20 caras, mas até hoje não consegui fazer muitas coisas.

Comecei leve, com um casal, depois passei a aumentar a quantidade de pessoas até dar para 7 numa única noite.

Fui descobrindo o que eu mais gosto. Até que uma vez em Floripa conheci uma mulher que me convidou para participar de uma suruba com um grupo dela. Eram vários casais mais velhos que eram swingers a muito tempo. Como não eram muito bonitos, não dei bola. Segui na festa tentando encontrar algo melhor com meu amante. Transei com uma mulher e fiquei bem excitada.

Mas perto de 2 da manhã entramos numa sala e vimos que lá dentro estava todo o grupo da mulher que tinha me abordado. Decidi me jogar no centro da cama e imediatamente uma das mulheres passou a chupar minha buceta e meu cu.

Após alguns minutos ali de quatro sendo chupada, uma das mulheres falam assim: “Julio, tem um presentinho aqui para você”! Uma outra mulher fala: “Quem está aí? Aquela de vestidinho florido?” Eles falavam como se tivessem a certeza que eu acabaria indo até eles.

Então descubro que o tal Julio era um grande comedor do grupo. Um negão que parou de meter em outra mulher e veio até mim. Me organizou de quatro e meteu uma pica grossa na buceta. Já na largada batia muito forte, mas como eu estava ensopada a pica dele estrava toda. Meu amante me disse que era lindo ver o contraste, o negão muito preto socando minha bunda bem branca. De repente o negão fez algo que ninguém tinha feito em Swing, me virou de frente, abriu minhas pernas e começou a socar na posição papai-mamae. Nessa posição a pica dele entrava mais no fundo ainda. Ele me beijava com força. Comecei a sentir que ele não estava só me fudendo e sim ele estava me amando. Dava para sentir que ele me queria mais que qualquer outra que ele já tinha comido. Minha cara era de tesao, dor, ansiedade, e de repente meu amante me tirou dali. Me puxou para sair e ir para outra sala. Me separei daquele negão e acabei nunca mais voltando.

Hoje, me masturbo quase diariamente pensando o que mais poderia ter acontecido. Fiquei pensando que de devia ter ficado até eu e o negão gozar. Fiquei com vontade de ir para uma sala fechada sozinha com um negão para ver o potencial dele no meu corpo. Já sonhei até de dar a buceta e meu cu para uma negão que me coma sem camisinha. Queria saber se a porta de um negão é mais grossa e quente. Enfim, fiquei viciada em Swing e em negros.